Arquidiocese de Porto Velho lança livro sobre conflitos agrários

Avalie essa página

A arquidiocese da cidade Porto Velho lançou na segunda-feira (6) o livro ‘Conflitos no campo Brasil 2012’, feito pela Comissão Pastoral da Terra. O livro na cidade de Porto Velho traz números e relatos de comunidades que foram alvos de conflitos trabalhistas e de terras.

Entre os casos relatados está o do agricultor Maurício Arza Gualasua. O agricultor mora no Sul do Amazonas, e desde 2010 luta contra três fazendeiros para provar que as terras onde vive são da união.





“Estou sendo ameaçado até hoje e vivo sofrendo dia a dia essa pressão. Nós vivemos lá no acampamento esperando a resolução do problema das terras que já estão em documento provando que vai ser um assentamento pra nós lá, porque a terra é da União”, diz o agricultor.

Segundo dados da Comissão Pastoral da Terra, no Brasil, houve aumento de 24% no número de assassinatos em relação ao ano passado; de 51% em tentativas de homicídios e 11,02% a mais de trabalhadores presos. A maioria dos casos ocorreu na Amazônia, de acordo com a CPT.

Conforme o coordenador da Comissão Pastoral da Terra no Estado de Rondônia, Josep Iborra Plans, no ano passado teve um número elevado de mortes em comparação aos anos anteriores. Foram registradas duas mortes em 2011 e em 2012 nove. “Nesse ano não teve nenhuma morte confirmada. Nós passamos na frente de todos os estados. Habitualmente era o Pará e no ano passado foi Rondônia”, explica.

Os registros da CPT mostram um balanço da violência no campo, denunciam as dificuldades para ter acesso à terra e revelam que os conflitos ocorrem em todo o país. Os dados informam ainda que uma em cada cinco vítimas de assassinato já tinha sido ameaçada de morte.

Fonte: G1





Deixe seu comentário