Déficit habitacional em Porto Velho chega a 50 mil pessoas, diz Semur

Avalie essa página

Centenas de famílias de baixa renda esperam receber a casa própria pelos programas habitacionais da Prefeitura Municipal da cidade de Porto Velho. Algumas delas estavam perto de conseguir o imóvel, entretanto a prefeitura teve que realocar famílias que ficaram desabrigadas por conta da cheia do Rio Madeira nos conjunto habitacionais construídos para as pessoas que participam dos programas. De acordo com a Secretaria Municipal de Regularização Fundiária e Habitação (Semur), o déficit habitacional na capital chega a 50 mil pessoas.

A auxiliar de serviços gerais Cristiane da Silva faz parte do grupo de famílias que receberia o imóvel na cidade de Porto Velho nos próximos dias. A auxiliar conta que mora com os filhos na casa da avó para não pagar aluguel e sonha com a casa própria há mais de 10 anos. Além da família de Cristiane, o terreno é dividido com mais outras duas famílias.





‘Eles [prefeitura] falaram que tinha que dar para as pessoas com mais necessidade e eu fiquei de ‘escanteio’. Falaram que iriam me dar um apartamento, mas nem a casa que eu ganhei eles não querem me entregar. E eu já assinei todos os documentos pra receber”, lamenta Cristiane .

As pessoas ‘com mais necessidade’ que Cristiane cita são as que residiam nas margens do Rio Madeira e foram afetadas pela cheia e foram realocadas pela prefeitura para o conjunto habitacional Açaí, no Bairro Areal da Floresta.

O funcionário público Fernando Bento lembra que quando chegou ao local, a casa não estava pronta e teve que desembolsar cerca de R$ 6 mil para concluir o imóvel. “A casa foi entregue durante a gestão do Roberto Sobrinho, mas só o papel com o número da casa e o endereço, mas, oficialmente, o termo de adesão não foi entregue e nem tem previsão”, comenta.

O secretário da Semur, Christian Piana, afirmou que cerca de 50 mil pessoas em Porto Velho (Estado de RO) não possuem casa para morar. Está sendo realizado um programa de moradia que deverá entregar mais de 10 mil unidades habitacionais até 2014. “Até julho deste ano abriremos inscrições para que as pessoas concorram a mais quatro mil unidades habitacionais que estão sendo construídas. As obras destes imóveis estão em andamento, cerca de 30% encaminhada, e contarão com saneamento básico”, garante Piana.

Fonte: G1





Deixe seu comentário